sábado, 12 de agosto de 2017

IFPE abre seleção para mestrado em gestão ambiental

O Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) divulgou, nesta sexta-feira (4), o edital da seleção de estudantes para o Mestrado Profissional em Gestão Ambiental (MPGA) do Campus Recife. São ofertadas, ao todo, 16 vagas, sendo uma reservada para servidores ativos e permanentes da Instituição. O curso é totalmente gratuito.  Podem participar da seleção profissionais com diploma de nível superior em qualquer área do conhecimento e que atuem, direta ou indiretamente, com Gestão Ambiental e Desenvolvimento Sustentável.
As inscrições custam R$ 50 (cinquenta reais) e serão realizadas na própria página do IFPE (www.ifpe.edu.br) do dia primeiro de setembro a primeiro de outubro.  Depois, os candidatos devem entregar presencialmente a documentação comprobatória e ficha de inscrição preenchida até o dia cinco de outubro. Membros inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal podem solicitar a isenção do pagamento da taxa de inscrição no período de 10 a 18 de agosto.
A seleção acontecerá mediante etapas de Análise da documentação apresentada no ato de inscrição; Prova escrita de conhecimento específico; Prova de Suficiência em língua inglesa; Análise curricular; e Apresentação e análise do pré-projeto. O candidato poderá escolher entre duas linhas de pesquisa: Tecnologias e Inovações Ambientais, e Gestão para Sustentabilidade. 
O resultado final da seleção está previsto para o dia 15 de dezembro. As aulas terão início em fevereiro de 2018. 

Mestrado Profissional em Gestão Ambiental (MPGA)
Inscrições - 01/09 a 01/10
Vagas - 15
Valor - R$50
Início das aulas - Fevereiro de 2018
Fonte: IFPE

Prefeitura de Gravatá abre seleção simplificada com 1.162 vagas

A Prefeitura de Gravatá, agreste pernambucano, abre nesta quinta (10) as inscrições para o processo de seleção simplificada, que visa a contratação temporária de profissionais em variadas áreas.
O processo seletivo oferece 1162 vagas de emprego para 145 funções em todos os níveis de escolaridade. Os salários variam de R$ 937,00 a R$ 7600,00 (Médico Intervencionista – SAMU). Há vagas disponíveis para pessoas com deficiência.
A Seleção será realizada pelo Instituto ADM&TEC.
Inscrições
Os interessados em concorrer às vagas, devem preencher um formulário de inscrição através deste SITE. As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas de 10 a 15 de agosto de 2017 e seguir os requisitos do Edital Seleção Pública Simplificada – Prefeitura de Gravatá.

Fonte: Prefeitura de Gravatá

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Temer usa explicação inverossímel para encontro com Joesley



Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino
Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Citada pelo presidente Michel Temer como um motivo para receber o empresário Joesley Batista, da JBS, a Operação Carne Fraca só foi deflagrada dez dias após o encontro dos dois no Palácio Jaburu, em março.
Em entrevista à Folha de S.Paulo publicada nesta segunda (22), Temer falou que Joesley o procurou três vezes. "Ele é um grande empresário. Quando tentou muitas vezes falar comigo, achei que fosse por questão da Carne Fraca. Eu disse: 'Venha quando for possível, eu atendo todo mundo'. [Ele disse:] 'Mas eu tenho muitos interesses no governo, tenho empregados, dou muito emprego'".
O encontro dos dois, que foi gravado e provocou a maior crise do governo Temer, ocorreu no dia 7 de março. A Operação Carne Fraca só saiu do sigilo e cumpriu seus mandados no dia 17, uma sexta-feira. A JBS, dona das marcas Seara e Big Frango, foi uma das principais atingidas.
Temer vem sendo criticado por ter recebido de maneira informal, sem constar em agenda, um empresário que já era alvo de diversas investigações. Na entrevista, Temer afirmou ainda que Joesley conseguiu seu telefone e que então ficou "sem graça de não atendê-lo".
Questionado, o presidente disse também que tem o "hábito", que diz não ser ilegal, de marcar audiências fora da agenda. "Marco cinco audiências e recebo 15 pessoas. Às vezes à noite, portanto inteiramente fora da agenda. Eu começo recebendo às vezes no café da manhã e vou para casa às 22h, tem alguém que quer conversar comigo."
Fonte: Reuters/Yahoo

Aécio teria articulado barrar Lava Jato com Temer e Alexandre de Moraes, cita Janot em pedido de inquérito


BRASÍLIA (Reuters) - O senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) teria tentado organizar uma forma de impedir que as investigações da operação Lava Jato avançassem em parceira com o presidente Michel Temer e o ex-ministro da Justiça e atual ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, conforme trecho do pedido de abertura de inquérito contra o tucano e o peemedebista feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.
Segundo Janot, citando a atuação de Aécio, a forma para brecar o prosseguimento das apurações seria por meio "escolha de delegados que conduziriam os inquéritos, direcionando as distribuições". Contudo, o tucano, conforme despacho do procurador-geral, disse que isso não teria sido "finalizado" entre ele, Temer e Moraes.
Em uma das conversas, transcrita no pedido de abertura de inquérito por Janot, Aécio disse: "O que vai acontecer agora, vai vir inquérito sobre uma porrada de gente... eles não notaram o cara que vai distribuir os inquéritos para os delegados, você tem lá, sei lá, 2 mil delegados na Polícia Federal, aí tem que escolher dez caras. O do Moreira (Franco), o que interessa a ele, sei lá, vai pro João, o do Aécio vai pro Zé... nem isso conseguiram terminar, eu, o Alexandre e o Michel", disse.
Aécio se licenciou da presidência do partido na quinta-feira e foi afastado de suas funções de senador por decisão do ministro Edson Fachin, relator da operação Lava Jato no STF. Apesar da citação a Moraes, não há qualquer pedido de abertura de investigação ou outro procedimento referente ao atual ministro do STF. Temer e Aécio estão sob investigação.
O PSDB afirmou, em nota divulgada no site do PSDB, que não existe qualquer ato do senador, como parlamentar ou presidente da legenda, que possa ter colocado qualquer empecilho aos avanços da Lava Jato.
"O senador Aécio Neves jamais agiu ou conversou com quem quer que seja no sentido de criar qualquer tipo de empecilho à Operação Lava Jato ou à Polícia Federal, que sempre teve seu trabalho e autonomia apoiados pelo senador em suas agendas legislativas, e também como dirigente partidário", diz a nota.
O ministro Alexandre de Moraes não se manifestou e o presidente Temer disse em nota que não tem envolvimento em nenhum tipo de crime.
(Por Ricardo Brito)

Fonte:Reuters/Yahoo

domingo, 2 de abril de 2017

Café Literário homenageia o escritor João Paulo Lima


A imagem pode conter: 15 pessoas, pessoas sorrindo

            Na última sexta-feira(31/03), a Associação de Artes e Letras de Surubim(ALAS) e a Escola Municipal Lourenço Ramos da Costa promeveram um Café Literário para homenagear o professor, poeta e escritor surubinense João Paulo Lima.
            A homenagem teve início às 9h e aconteceu no pátio da escola, com a presença de escritores surubinenses membros da ALAS, da direção, funcionários, alunos e  familiares do escritor. Entre os presentes estavam a escritora Maria José Brito - Galega, o artista plático e diretor do Jornal Correio  do Agreste Fernando Guerra e o Secretário Municipal de Educação e Cultura, professor João Filho.
            Apresentações artísticas, recitação de poesias do homenageado e de outros escritores, peças de teatro e outras atividades marcaram o evento que é realizado mensalmente para homenagear escritores da cidade.
João Paulo Arruda de Lima tem 32 anos, é natural de Surubim – PE e mora na zona rural do município. Neto de agricultores analfabetos e vindo de família humilde, é filho do funcionário público Severino Manoel de Lima e da professora aposentada Maria do Socorro Arruda de Lima. É professor, Graduado em Geografia pela UPE, Especialista em Gestão Ambiental pela FAINTVISA e em Gestão Pública pelo IFPE. Atualmente está concluindo o Mestrado em Educação pela Universidade de Pernambuco.
Trabalha atualmente como Diretor da Escola Intermediária Ignácia Alcântara de Vasconcelos no Distrito de Chéus pela Prefeitura Municipal do Surubim e como Coordenador Municipal do EJA CAMPO pela Secretaria Estadual de Educação de Pernambuco. Atuou como Diretor da Escola Maria do Carmo Viana no Mimoso e foi diretor do Centro de Educação Cultura e Cidadania Severina Maria da Conceição no Sítio Tamanduá. Já foi Supervisor Pedagógico das escolas Ignácia Alcântara de Chéus, Maria do Carmo Viana do Mimoso e Lourenço Ramos da Costa. Em sua carreira docente, atuou como professor de Geografia e disciplinas humanas nas escolas Ignácia Alcântara de Vasconcelos, Maria do Carmo Viana, Ermelinda de Lucena, Lourenço Ramos da Costa, EREM Severino Farias, Escola Maria Cecília Barbosa Leal e Colégio Duarte Coelho em Surubim e na EREM Justulino Ferreira Gomes em Umari de Bom Jardim. Foi também tutor do Curso de Extensão em Educação em Direitos Humanos da UFPE, no Polo UAB Surubim e lecionou temporariamente em cursos profissionalizantes da Escola Técnica SENAI de Santa Cruz do Capibaribe, em Surubim.
Cristão, possui uma longa caminhada por pastorais e movimentos da Igreja Católica, como Animador de Comunidade, Coordenador de Grupo Jovem, Coordenador da Pastoral da Juventude, Zelador do Movimento Mãe Rainha e Catequista.
            Desenvolve trabalhos comunitários e solidários no Sítio Tamanduá de Cima como Agente de Leitura do Programa Arca das Letras do Ministério de Desenvolvimento Agrário em parceria com o Banco do Brasil e Prefeitura Municipal de Surubim e é líder comunitário local.
Atualmente é diretor do Blog Portal Surubim, o primeiro blog de notícias fundado em Surubim, criado com o intuito de divulgar notícias da cidade, sua cultura e história.
Como escritor é colunista do Jornal Terra da Gente e escreveu algumas matérias para o Jornal Correio do Agreste. Também é um dos autores do livro Saberes Educacionais e Saberes Ambientais, publicado por alunos dos cursos de graduação e pós-graduação da FAINTVISA.


Apaixonou-se por poesia na adolescência e desde 2000 escreve poemas voltados para temáticas sociais, ambientais, amorosas, dentre outras. Participa do site de escritores Recanto das Letras, onde publica alguns de seus textos e foi membro da ALAS – Associação de Artes e Letras de Surubim.

Poesia do Dia

Foto: Google Imagens

Retirante

Hoje foges dessa seca
E o tempo revive novamente
A dor, a fome, a miséria

O grito, o choro, o lamento
De um Nordeste que é irmão do Brasil
E tem como pai o Esquecimento



João Paulo Lima

domingo, 26 de março de 2017

Em dez meses de Temer, um retrocesso de 100 anos (por Marcelo Auler)


“Em 1919, a Carta de fundação da OIT (Organização Internacional do Trabalho) tem a seguinte epígrafe: “O trabalho não é mercadoria”. Isto, em 1919, e a gente está aqui, agora, cem anos depois, tendo que repetir isso. Não só o trabalho não é mercadoria, outras coisas também não são”. (ouça o vídeo)

O projeto de Lei que o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, levou ao plenário na tarde de quarta-feira (22) para fazer o jogo do governo impopular e ilegítimo, é o primeiro da chamada Reforma Trabalhista. Ele transformará o trabalhador em mercadoria, como admite um estudo técnico feito pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) que resultou em uma Nota Técnica.
Segundo o Procurador Geral do Trabalho Ronaldo Curado Fleury, a terceirização irá transformar o empregado em mercadoria a ser alugada. Depois, dispensada. Ou seja, será utilizada, sugada e descartada. Sem qualquer garantia dos direitos básicos e, possivelmente, com má remuneração. Na Nota Técnica, o MPT diz:
“Terceirização de atividade-fim é mera intermediação de mão de obra uma vez que a tomadora de serviços estará contratando, através de terceiros, trabalhadores que devem estar a ela subordinados – o que implica aluguel de gente. Ou seja, a tomadora de serviços pede à prestadora de serviços que, de forma semelhante ao aluguel de uma máquina que possa lhe ser posta à disposição em troca de pagamento pelo uso, coloque-lhe à disposição trabalhadores em troca de uma remuneração pela intermediação da mão de obra. Se não bastasse o aspecto imoral da intermediação, ela só pode ser viável com a sonegação de direitos.”
Uma situação tão insegura que como a deputada Maria do Rosário (PT-RS) lembrou, durante o debate do projeto na tarde desta quarta-feira na Câmara Federal, o maior número de ações na Justiça do Trabalho atualmente gira em torno dos desrespeitos aos direitos dos trabalhadores terceirizados. A começar por empresas que faliram e deixaram os empregados sem salários, indenizações e outros direitos.
Em uma reunião em janeiro, patrocinada pelo MPT, foi criado o Fórum Interinstitucional de Defesa do Direito do Trabalho e da Previdência Social objetivando promover a articulação social para combater as propostas legislativas que resultarão em perdas de direitos dos trabalhadores. No encontro, foi redigida a Carta em Defesa dos Direitos Sociais na qual as 24 entidades, entre outros pontos, destacam:
“que, além de não contribuir para o crescimento econômico, pelo seu potencial de fragilização do mercado interno, como atestam os estudos realizados por organismos internacionais que analisam experiências realizadas em contextos semelhantes em outros países, o enfraquecimento dos direitos sociais terá como efeito imediato a ampliação do constrangedor nível de desigualdade social verificado no Brasil“.
Fonte: sul21.com.br 

sexta-feira, 17 de março de 2017

Capibaribe: um rio que pede socorro

Resultado de imagem para rio capibaribe  surubim
Foto: João Paulo Lima

Quem vê o rio Capibaribe perene em sua foz no Recife, não imagina o percurso que ele faz em terras pernambucanas. Tema de poemas ilustres como os de João Cabral de Melo Neto e Manuel Bandeira, o rio faz parte da história e da cultura pernambucanas.
Nascendo na divisa entre os municípios de Poção e Jataúba, o Capibaribe corta 43 municípios do Agreste e Zona da Mata, a exemplo de Santa Cruz do Capibaribe, Toritama, Surubim, Limoeiro e Carpina. A história do Capibaribe confunde-se com a de Pernambuco e é nas suas margens que se desenvolveu a capital Recife, a Veneza Brasileira, cortada por rios e pontes. Também é através do Capibaribe que os colonizadores portugueses adentraram no interior do estado, fazendo das suas margens rota para o Agreste e Sertão, ligando a zona canavieira à zona da agropecuária.
O Capibaribe também é exaltado na literatura por importantes escritores locais e nacionais, como João Cabral de Melo Neto em “Morte e Vida Severina” e Manuel Bandeira.
Na economia, o rio movimenta a produção canavieira da Mata e contribui para o desenvolvimento da agricultura e pecuária em suas margens. Também contribui para o desenvolvimento da pesca.
Com o passar dos anos e o com o desenvolvimento econômico, o rio foi sendo esquecido pela população e suas águas límpidas, utilizadas para o banho e serviços domésticos, foram poluídas com o lançamento de lixo e do esgoto doméstico sem tratamento de cidades e distritos que o margeiam, como Chéus em Surubim e pelo esgoto industrial, especialmente pelas indústrias têxteis de cidades do Polo de Confecções do Agreste.
Com a poluição, suas águas tornaram-se impróprias para uso doméstico e para o banho em alguns trajetos do seu percurso. Além disso, a desoxigenação gera a morte de peixes e a diminuição da pesca e também do atrativo turístico do rio. A água poluída também pode causar graves doenças à população.
A erosão é o outro grave problema pelo qual passa o Capibaribe. Com o desmatamento da mata ciliar para a agricultura e a pecuária, suas margens ficaram vulneráveis e bancos de arreia estão sendo formados no  seu leito.
O mais pernambucano de todos os rios, enfrenta sérios problemas ambientais que podem gerar a sua morte. Berço de várias cidades pernambucanas, o Capibaribe agoniza diante do descaso do poder público e da falta de sensibilidade ambiental da população ribeirinha. É necessário que haja iniciativas para que o rio continue sendo uma importante fonte hídrica para a atual e as futuras gerações, em uma região que tanto sofre com a seca e com longos períodos de estiagens.
Do rio que ainda existe, resta-nos fazer poesia:

Capibaribe

Que belas lembranças trazes
De tempos que não vão voltar
Quando em tuas águas limpas
Ainda era possível pescar
Ver os jovens namorando as moças
Nas tuas águas a nadar
Ver as senhoras lavando roupas
Numa cantiga sem cessar
E de quando em quando, uma cheia
Para a surpresa dos povoados
Que no caminho estás a banhar
Capibaribe, velho rio
Que ajudou Pernambuco fundar
Hoje padeces no esquecimento
E sofres com o desenvolvimento
Que aos poucos vai te matar...


João Paulo Lima